No primeiro trimestre de 2019 realizaram-se 377 reuniões, conferências, exposições e eventos de incentivo (+49, em termos anuais), dos quais 362 eram reuniões e conferências, 10 exposições e 5 eventos de incentivo. O número de participantes e visitantes totalizou 333.000, mais 19,9%, informam os Serviços de Estatística e Censos.

No trimestre em análise realizaram-se mais 48 reuniões e conferências em termos anuais e o número de participantes (84.000) aumentou 18,1%. Salienta-se que se efectuaram 263 reuniões e conferências com uma duração igual ou superior a 4 horas, nas quais estiveram 74.000 participantes (+13,3%). A duração média das reuniões e conferências manteve-se em 1,5 dias, sendo idêntica à do primeiro trimestre de 2018 e a área utilizada total fixou-se em 280.000 m2, menos 52,4%.

O número de exposições realizadas no trimestre de referência foi idêntico ao do primeiro trimestre de 2018 e o número de visitantes atingiu 235.000 (+22,1%). Refira-se que 9 exposições foram organizadas por entidades não governamentais (-1, em termos anuais), nas quais estiveram 226.000 visitantes (+17,3%). A duração média das exposições permaneceu em 3,6 dias e a área utilizada total situou-se em 31.000 m2 (+31,8%). Por seu turno, efectuaram-se mais 1 evento de incentivo, porém, o número de participantes (13.000) e a área utilizada total (114.000 m2) desceram 2,9% e 9,7%, respectivamente. A duração média dos eventos de incentivo foi de 2,9 dias, mais 0,3 dias, em termos anuais.

De acordo com as informações recolhidas no primeiro trimestre junto das entidades organizadoras das 10 exposições, as receitas e despesas destas cifraram-se em 9,42 milhões e 34,10 milhões de Patacas. As receitas das 9 exposições organizadas por entidades não governamentais foram de 8,71 milhões (+19,0%, em termos anuais), das quais 82,5% eram do “aluguer das cabinas das exposições” (7,18 milhões de Patacas) e 17,5% eram dos “subsídios concedidos pelo Governo e por outras instituições” (1,52 milhões de Patacas), descendo 4,4 pontos percentuais em relação à proporção do mesmo trimestre de 2018. As despesas atingiram 7,76 milhões de Patacas, das quais 33,0% foram efectuadas em “publicidade, promoção e relações públicas” (2,56 milhões de Patacas) e 31,2% em “serviços de produção, construção e decoração” (2,42 milhões de Patacas). As receitas das exposições organizadas por entidades não governamentais registaram um saldo de 0,94 milhões de Patacas, após subtraídas as despesas. Analisando a mercantilização do sector das exposições, após deduzir deste saldo os subsídios concedidos pelo Governo e por outras instituições, obteve-se o valor negativo de 0,58 milhões de Patacas, que representa uma melhoria relativamente ao valor negativo de 2,23 milhões de Patacas registado no trimestre homólogo de 2018.

As exposições realizadas no primeiro trimestre congregaram 975 expositores, dos quais 41,8% eram provenientes de Macau, tendo participado 3.975 visitantes profissionais, dos quais 43,9% eram provenientes do Interior da China e 40,4% de Macau. Segundo as informações recolhidas junto de 558 expositores entrevistados no trimestre em análise, as receitas provenientes das “vendas de produtos” representaram 92,9% do total e as despesas foram efectuadas essencialmente em “rendas das cabinas” (59,1% do total). Quanto aos comentários dos expositores entrevistados que utilizaram os serviços prestados pelas empresas locais, as proporções dos expositores satisfeitos com a “qualidade de serviços” (85,0%) e a “organização” (84,3%) desceram 0,3 e 1,0 pontos percentuais, respectivamente, em termos trimestrais. Em contrapartida, subiu 7,1 pontos percentuais a proporção dos expositores entrevistados satisfeitos com a “publicidade e promoção” das entidades organizadoras de exposições (66,7%).

Informações relacionadas: Estatísticas do Sector das Convenções e Exposições referentes ao 1º Trimestre de 2019