Em 2018 estavam em actividade 116 hotéis e pensões, mais 3 do que em 2017 e o pessoal ao serviço totalizou 52.976 indivíduos, observando-se um aumento de 3,7%. As receitas do sector cifraram-se em 37,29 mil milhões de Patacas, ou seja, +14,5%, em termos anuais, graças ao número de hóspedes dos hotéis e pensões ter subido. As despesas do sector foram de 31,83 mil milhões de Patacas, isto é, +10,0% em termos anuais, salientando-se que as despesas com pessoal (14,39 mil milhões de Patacas), as despesas de exploração (13,82 mil milhões de Patacas) e as compras de mercadorias e comissões pagas (3,62 mil milhões de Patacas) aumentaram 10,7%, 8,4% e 13,6%, respectivamente, informam os Serviços de Estatística e Censos.

Havia 82 hotéis e as suas receitas fixaram-se em 37,21 mil milhões de Patacas em 2018, ou seja, +14,5%, em termos anuais. Em termos da classificação dos hotéis, observou-se que as receitas dos hotéis de 5 estrelas foram de 29,04 mil milhões de Patacas (78,0% das receitas dos hotéis), isto é, +18,6%. Realça-se que as receitas provenientes do alojamento em quartos (13,06 mil milhões de Patacas), do arrendamento de instalações (7,12 mil milhões de Patacas) e dos serviços de restauração (6,36 mil milhões de Patacas) subiram 20,3%, 10,3% e 20,8%, respectivamente. As receitas dos hotéis de 4 estrelas cifraram-se em 4,39 mil milhões de Patacas, mais 5,2% e foram principalmente oriundas do alojamento em quartos (2,36 mil milhões de Patacas), as quais cresceram 5,4%. Quanto aos hotéis de 3 estrelas e de 2 estrelas, as receitas fixaram-se em 3,78 mil milhões de Patacas, menos 2,0%, em virtude essencialmente das receitas provenientes do arrendamento de instalações (597 milhões de Patacas) terem descido 13,8%. Salienta-se que as receitas do alojamento em quartos (1,78 mil milhões de Patacas) e dos serviços de restauração (821 milhões de Patacas) ascenderam 3,0% e 9,1%, respectivamente. Por seu turno, de entre as receitas não operacionais dos hotéis, 384 milhões de Patacas foram indemnização de seguros, subindo acentuadamente 193,9%, devido sobretudo às indemnizações resultantes da catástrofe causada pelo tufão de 2017.

As despesas dos hotéis totalizaram 31,78 mil milhões de Patacas, isto é, +10,0%, em relação ao ano 2017. As despesas dos hotéis de 5 estrelas equivaleram a 25,11 mil milhões de Patacas (79,0% das despesas dos hotéis), ou seja, +12,6%, em termos anuais, realçando-se que as despesas com pessoal (11,69 mil milhões de Patacas) e as despesas de exploração (10,54 mil milhões de Patacas) subiram 13,5% e 11,1%, respectivamente. As despesas dos hotéis de 4 estrelas fixaram-se em 3,84 mil milhões de Patacas, mais 3,5%, salientando-se que as despesas de exploração (2,07 mil milhões de Patacas) aumentaram 2,3%. Quanto aos hotéis de 3 estrelas e de 2 estrelas, as despesas fixaram-se em 2,82 mil milhões de Patacas, isto é, -1,5%, destacando-se que as despesas com pessoal (1,33 mil milhões de Patacas) e as despesas de exploração (1,18 mil milhões de Patacas) diminuíram 1,3% e 2,7%, respectivamente. Além disso, as despesas não operacionais dos hotéis (incluindo a depreciação e os juros pagos) corresponderam a 14,72 mil milhões de Patacas, aumentando 14,8%, face a 2017.

O número de pensões manteve-se, ou seja, 34. As receitas situaram-se em 80,20 milhões de Patacas, mais 40,8% em relação a 2017 e as despesas foram de 52,04 milhões de Patacas, mais 13,6%.

O valor acrescentado bruto, que reflecte o contributo económico do sector, cifrou-se em 19,82 mil milhões de Patacas, isto é, +19,5%, face a 2017 e o valor acrescentado médio por pessoal ao serviço foi de 374 mil Patacas, mais 15,2%. O crescimento das receitas foi superior ao das despesas, pelo que o excedente bruto do sector alcançou 5,43 mil milhões de Patacas (correspondente a um acréscimo substancial de 51,0%), sendo este o valor mais elevado desde o lançamento deste inquérito. A proporção do excedente bruto foi de 14,6%, mais 3,6 pontos percentuais. Além disso, a formação bruta de capital fixo do sector cifrou-se em 28,35 mil milhões de Patacas, aumentando significativamente 228,5%, em termos anuais, devido à conclusão de hotéis novos e a alguns hotéis terem adquirido maquinaria e outro equipamento.

Informações relacionadas: Inquérito aos Hotéis e Similares 2018

 

19/09/2019