1
Referência:

1.           Data: 16 de Outubro de 2019
2.           Hora: 09:30 ~ 12:05
3.           LocalSalão de Festas do Venetian Macao
4.           Entidades Organizadoras:

Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) da República Popular da China (RPC)

Comissão de Supervisão e Gestão de Activos Estatais junto do Conselho de Estado (SASAC) da República Popular da China (RPC)

 

Entidade Coordenadora:

Secretaria para a Economia e Finanças do Governo da RAEM

 

Entidade de Apoio:

Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM

 

Entidade Co-organizadora:

Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM)

5.           Tema: Avançando para Uma Nova Era de Cooperação e Explorando as Novas Oportunidades de Desenvolvimento

 

Este ano marca o 70.º Aniversário da Implantação da República Popular da China e o 20.º Aniversário do Retorno de Macau à Pátria. Perante o aprofundamento do desenvolvimento da globalização económica e a nova era do desenvolvimento da China, Macau e as Empresas Públicas Centrais, como plataforma sino-lusófona e pilar essencial da economia nacional, respectivamente, têm vantagens complementares e evoluem em paralelo para expandir novas oportunidades de cooperação regional e alcançar um desenvolvimento de benefícios mútuos, sendo que isso se reveste de profundo valor estratégico.

6.           Agenda:
Parte I Discursos e Intervenções Temáticas
Parte II Assinatura de Protocolos
Parte III Painel de Discussões, Sessão I:

 

Empresas Públicas Centrais “+Macau”, trabalhando em conjunto para participar, da melhor forma, na construção de infra-estruturas nos Países de Língua Portuguesa e em vários países ao longo da “Faixa e Rota”

Nos últimos anos, as Empresas Públicas Centrais têm contribuído activamente para a construção dos Países de Língua Portuguesa e a implementação da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, acumulando assim muitos frutos e experiências nos termos da conectividade de infra-estruturas e da cooperação na capacidade produtiva internacional. Macau, por sua vez, beneficia das vantagens institucionais do princípio “um país, dois sistemas” e tem mantido relações estreitas com os países lusófonos e ligações amplas com os chineses ultramarinos, trabalhando em conjunto com as Empresas Públicas Centrais para expandir negócios no exterior através das três vias da plataforma sino-lusófona, bem como participar, da melhor forma, na construção de infra-estruturas nos Países de Língua Portuguesa e em vários países ao longo da “Faixa e Rota”. Isso merece uma discussão aprofundada entre as duas partes.

  • Representantes das Empresas Públicas Centrais, dos Países de Língua Portuguesa e da RAEM
Parte III Painel de Discussões, Sessão II:

 

Fazendo bom uso dos serviços financeiros característicos de Macau para ajudar as Empresas Públicas Centrais a expandir o mercado nos Países de Língua Portuguesa

No intuito de melhorar a função da plataforma sino-lusófona e acelerar o desenvolvimento da diversificação adequada da sua economia, Macau está a envidar todos os esforços para desenvolver os serviços financeiros com características próprias orientados para os Países de Língua Portuguesa e mercados internos e externos em geral, nomeadamente no domínio da locação financeira, da liquidação em Renminbi, da gestão do património e do financiamento por obrigações, pretendendo fornecer canais e opções diversificados de investimento e financiamento às Empresas Públicas Centrais que efectuam projectos comerciais e de investimento nos Países de Língua Portuguesa, ajudando as mesmas a continuar a expandir os mercados lusófonos.

  • Representantes das Empresas Públicas Centrais, dos Países de Língua Portuguesa e da RAEM
Parte III Painel de Discussões, Sessão III:

 

Combinando organicamente as características de Macau com as vantagens das Empresas Públicas Centrais para criar um motor de inovação tecnológica na Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau

Ao longo dos vários anos de desenvolvimento, Macau tem avançado com os estudos básicos nas áreas de medicina tradicional chinesa, design de chips, ciência espacial, Internet das coisas, entre outras, obtendo resultados frutíferos. Além disso, alguns frutos da investigação científica já atingiram um nível avançado no contexto internacional e foram estabelecidos localmente quatro Laboratórios de Referência do Estado. Para tal, Macau e as Empresas Públicas Centrais que possuem vantagens enormes, tais como forte capacidade científica e tecnológica, um sistema industrial completo e recursos humanos abundantes, podem cooperar de mãos dadas e contribuir com os seus próprios esforços para criar um centro internacional de inovação tecnológica, como um motor do desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau.

  • Representantes das Empresas Públicas Centrais, dos Países de Língua Portuguesa e da RAEM

Apenas convidados.

Obs.: Estará disponível tradução simultânea (em mandarim, português e cantonense) durante a Cimeira.

Actualizada em 26 de Setembro de 2019, sujeita a alterações.